Opa! Então você ouviu falar sobre serverless e ta afim de aprender como que isso funciona? Então bora!

Antes de eu começar a destrinchar a ideia, já se inscreve na newsletter pra receber conteúdo TOP sobre serverless e outros conteúdos relevantes e de primeira, pra você alavancar sua carreira como desenvolvedor. Clica aqui ó.


Conteúdo

  1. Pra que?
  2. O que é?
  3. Microservices
  4. Dicas e Tutorial

PRA QUE?

Vamos pensar um pouco: quando você quer subir uma aplicação web, você precisa de um servidor rodando para que ela responda aos requests - você já pensou que está pagando pelo servidor rodando 24/7 (24 horas por dia, 7 dias por semana) porém você não usa esse tráfego o tempo todo? Ou seja: dinheiro jogado fora.

Você vai ter que subir um apache/nginx, saber como configurar e se você precisar de algo mais específico como por exemplo exportar as métricas do nginx para o prometheus, sabe que vai dar trampo.

  • Baixar o source do nginx
  • Adicionar o módulo
  • Compilar
  • Testar

Você não precisa perder tempo com isso. (A não ser que você seja ratão de kernel, aí pra você isso deve ser como andar numa montanha russa o.O )

Não esquecendo também que você vai ter que manjar de segurança, escalabilidade e tudo mais - e ainda nem estamos falando da sua aplicação, estamos falando de onde a sua aplicação roda. Pense nisso!

O que é?

Aqui a gente tem que entender dois conceitos o serverless como ideia e o serverless.com como framework:

O conceito serverless é quando o seu provider (AWS, Google, Azure, etc) cuida de todo o trabalho de alocar os recursos, subir servidor, liberar DNS, fazer as conexões chegarem no lugar certo e tudo mais para que a sua aplicação possa rodar tranquilamente - já vamos ver mais sobre isso.

O framework https://serverless.com é o que nós vamos utilizar nessa serie para enviar nossa aplicação para o provedor (nesse caso a AWS) e fazer ela rodar.

No final das contas o seu código, sim, será executado por um servidor mas você não precisa se preocupar com isso. Loco né?!

Microservices

Sim, você já deve estar cansado de ver essa palavra por ai, se não estiver ainda se prepare. Todo mundo que fala de microservices vai, uma hora ou outra, dizer que empresas com a Netflix e Uber usam isso e é a coisa mais trending do momento.

Mas sim, a ideia aqui funciona e funciona legal. Como o conceito é você ter funções stateless (sem estado) e que tem uma responsabilidade muito específica você provavelmente chegará a usar serverless para quebrar o seu serviço em microserviços.

Mas se liga, não vá chegar pro teu chefe e mandar uma dessa :

vamos usar microserviços porque é da hora!

Tenha um bom motivo pra isso, se não você pode estar preparando sua própria forca. ;)

Dicas e tutorial

Como o objetivo do DevPrimata é sempre trazer coisas NA PRÁTICA.


Aqui em baixo tem o vídeo no Youtube explicando como você pode preparar seu ambiente de desenvolvimento para começar a usar serverless e logo logo eu vou lançar um outro vídeo ensinando a criar algumas funções e recursos.